» » Veja o assombroso currículo de Leonardo da Vinci

Veja o assombroso currículo de Leonardo da Vinci

postado em: Artigos | 0

icone-blogHoje, Leonardo da Vinci é mundialmente renomado como um dos mais ilustres sábios da Renascença – mas lá no Século XV, o artista, inventor e gênio procurava emprego como todos nós. E sim, o currículo dele era assombroso.

Antes de ser famoso, antes de pintar a Mona Lisa e a Santa Ceia, Leonardo da Vinci era um artífice, um armeiro, um criador de coisas que explodiam”, escreveu Marc Cenedella, especialista em recrutamento e seleção. “E assim como você, ele precisava montar um currículo para conseguir emprego. Assim, em 1498, aos 30 anos, ele escreveu uma carta e uma lista de suas capacidades, e as enviou para Ludovico Sforza (regente e, posteriormente, Duque de Milão)”. A carta, ao que parece, causou uma ótima impressão; pois Ludovico tornou-se patrono de da Vinci por muito tempo, e é lembrado pelo comissionamento da Santa Ceia.

Junto com a carta de da Vinci estava uma lira de prata de sua própria criação, esculpida na forma de uma cabeça de cavalo. Ele faz referência à lira em onze itens de sua missiva, na tradução segue abaixo (você pode ver uma cópia digitalizada da carta original no final do post):

Ilustríssimo Senhor, tendo agora suficientemente considerados os espécimes de todos aqueles que se proclamam formuladores qualificados de instrumentos de guerra, e que a invenção e operação dos referidos instrumentos não são nada diferentes dos de uso comum: tentarei, sem prejuízo de qualquer outra pessoa, me apresentar para Vossa Excelência, mostrando à Vossa Senhoria o meu segredo e, depois, oferecê-los ao seu bel prazer e aprovação para trabalhar com efeitos em momentos oportunos em todas aquelas coisas que, em parte, serão brevemente descritas a seguir.

1 – Eu tenho uma série de pontes extremamente leves e fortes, adaptadas para serem facilmente transportadas, e com elas você pode perseguir, e a qualquer momento fugir dos inimigos; e outras, seguras e indestrutíveis pelo fogo e pela batalha, fáceis e convenientes para levantar e encaixar. E também tenho métodos para queimar e destruir as dos inimigos.

2 – Eu sei, quando um lugar está sitiado, como tirar a água para fora das trincheiras, e fazer uma infinita variedade de pontes, e caminhos e escadas cobertos, e outras máquinas que pertencem a essas expedições.

3 – Se, devido à altura das trincheiras ou à força do lugar e sua posição, for impossível, ao sitiar esse lugar, valer-se do plano de bombardeio; eu tenho métodos para destruir cada rocha ou outras fortalezas, mesmo que estejam fundadas sobre a rocha, etc.

4 – Novamente, eu tenho vários tipos de morteiros; mais convenientes e fáceis de transportar; e com eles eu posso atirar pequenas pedras quase semelhante a uma tempestade; e com a fumaça deles causar grande terror ao inimigo, causando grande prejuízo e confusão.

5 – E se a batalha precisar ser no mar, eu tenho muitos tipos de máquinas mais eficientes para ataque e defesa; e navios que vão resistir ao ataque das maiores armas, pólvora e fogo.

6 – Eu tenho meios de criar caminhos secretos e minas tortuosas, feitas sem ruído, para alcançar um determinado local, mesmo que seja necessário passar debaixo de uma trincheira ou um rio.

7 – Eu criarei carruagens cobertas, seguras e inatacáveis, as quais, entrando entre os inimigos com sua artilharia, nenhum grupo de soldados poderá fazer frente a elas. E atrás delas, a infantaria pode seguir seu caminho segura e sem impedimento.

8 – Caso seja necessário eu farei armas grandes, morteiros e munições leves de formas belas e úteis, fora do tipo convencional.

9 – Onde a operação de bombardeiro possa falhar, eu criarei catapultas e outras máquinas de maravilhosa eficácia e de uso incomum. E dependendo de casos variados, eu posso criar vários e infindáveis meios de ataque e defesa.

10 – Em tempos de paz eu acredito que posso oferecer satisfação perfeita e igual em arquitetura e na composição de edifícios públicos e privados; e na distribuição de água de um lugar para outro.

11 – Eu posso criar esculturas em mármore, bronze ou barro; e também posso fazer em pinturas o que for preciso, bem como qualquer outra, seja o que for.

Reiterando, o cavalo de bronze que acompanha esta carta é para a glória imortal e eterna honra do príncipe, seu pai, de feliz memória, e da ilustre casa de Sforza.

E se qualquer uma das coisas acima mencionadas parecerem impossíveis ou inviáveis, estou mais do que pronto para fazer o experimento em seu parque, ou em qualquer lugar que possa agradar Vossa Excelência – a quem me remeto com a maior humildade, etc.

Cenedella diz que, apesar de tudo, o currículo é humilde. Sim, isso mesmo.

Você notará que da Vinci não cita nenhuma conquista passada. Ele não menciona a pintura do altar da Capela de São Bernardo; ele não fornece a lista de bombas que já havia construído e nem cita seu emprego anterior no estúdio do artista Andrea di Cione”, diz Cendella.

Não, ele não menciona nenhuma dessas coisas, porque elas eram realizações dele, e não faziam parte das necessidades do Duque, a quem a carta foi direcionada. Entendeu a diferença?

Veja a carta original do currículo de Leonardo da Vinci

currículo de Leonardo da Vinci

Veja mais dicas bacanas aqui:

Comente pelo Facebook

comentários

Seguir Emílio Calil:

Editor, Consultor e Palestrante

Jornalista, designer e consultor com mais de 15 anos de experiência em diversos ambientes de trabalho – de agências de propaganda a multinacionais como a Microsoft. Acredita que as pessoas devem fazer o que amam para serem felizes e produtivas, e para isso oferece métodos e projetos que ajudam tanto empresas quanto pessoas. Apaixonado por tecnologia, games e pela cidade de Gramado. www.emiliocalil.com | emilio@lifebreak.com.br

Participe deste assunto! Deixe seu comentário abaixo: