» » 8 sinais de que você está sendo manipulado (e como se defender)

8 sinais de que você está sendo manipulado (e como se defender)

postado em: Artigos | 0

8 sinais de que você está sendo manipulado

Relacionamentos saudáveis são baseados em confiança, respeito mútuo e segurança. Cada indivíduo deve se sentir valorizado e amado incondicionalmente, ser aceito como é e poder expor suas vulnerabilidades e falhas.

Esse é o ideal da base para um bom relacionamento, mas é claro que todos erramos em algum ponto desses de vez em quando. Essa base de respeito, confiança e segurança é necessária em todos os relacionamentos – seu casamento, sua relação com familiares, seus colegas de trabalho. Todos devem estar comprometidos e ter uma forte inteligência emocional para que a relação prospere.

Entretanto, você já deve ter encontrado pessoas emocionalmente manipuladoras ou controladoras. Elas usam comportamentos passivos-agressivos para conseguir o que querem ou impedir os outros de fazer o elas não gostam. A manipulação emocional pode ser sutil, deixando você confuso. Ou pode ser aberta, onde medo, vergonha e culpa deixam você imobilizado.

A manipulação emocional não é aceitável em nenhum desses aspectos. O manipulador não pode ter o controle do relacionamento. Muitas relações saudáveis foram destruídas por causa disso. É preciso identificar, corrigir e combater essas atitudes.

Veja a seguir oito sinais de manipuladores emocionais e quais as reações para cada um deles.

1 – Eles mudam as suas palavras em benefício próprio

Um manipulador tem problemas em aceitar a responsabilidade por suas ações. E mesmo que você o alerte para isso, ele encontrará uma forma de reverter isso e fazê-lo se sentir mal ou culpado.

Por exemplo, você pode ter uma reclamação como essa: “Fiquei irritada porque você não me ajudou a limpar a casa como prometeu”. E em vez de se desculpar e corrigir a situação, o manipulador pode dizer: “Você nunca me pediria isso se soubesse o quão sobrecarregado estou. Por que não pensa um pouco em mim de vez em quando”?

Sua defesa: Se a desculpa parecer falsa ou se a pessoa ficar na defensiva, não a deixe seguir esse caminho – isso apenas lhe dará poder sobre a situação. Deixe claro que uma desculpa real é incondicional e seguida de uma mudança de atitude.

2 – Eles dizem algo e depois negam

Um manipulador pode dizer sim a um pedido ou firmar um compromisso com você e, quando chegar a data combinada, eles convenientemente esquecem que lhe disseram isso.

Um bom manipulador pode distorcer uma conversa anterior ou substituí-la para se ajustar às necessidades dele, fazendo você se sentir culpado ou confuso.

Sua defesa: Se você começar a ver um padrão nessas atitudes, anote ou grave as palavras do manipulador – envie por e-mail para uma terceira pessoa, se necessário. Isso pode deixar o manipulador irritado, questionando sua confiança ou fé nele, mas será impossível para ele negar o que disse depois.

3 – Eles usam a culpa para controlar você

Esse é o ápice da manipulação emocional. O manipulador descobre seu ‘calcanhar de Aquiles emocional’ e o provoca até você ceder ou se sentir um monstro.

Pode sair com o pessoal, vá se divertir. Vou ficar em casa e terminar de passar roupa”. Ou “Eu sei que não podemos comprar esse carro, mas é que eu nunca tive um carro novo. Acho que vou ter que viver com essa lata-velha. Eu não mereço coisas boas”.

O manipulador emocional sabe desempenhar seu papel muito bem. Ele dirá qualquer coisa para conseguir o que quer – especialmente se a vítima for sensível ou caridosa.

Sua defesa: O manipulador está jogando com você. Não caia nessa. Não ceda às suas demandas passivas ou pedidos de atenção, essa pessoa é adulta e deve se comportar como tal. Lembre-a disso e de que ela é capaz de cooperar com suas ações e decisões.

4 – Eles diminuem seus problemas e dificuldades

Manipuladores emocionais não se importam com os problemas dos outros – a menos que possam usá-los para exibir seus próprios problemas.

Você pegou muito trânsito hoje? Eu enfrento isso todos os dias. Dê graças por ter tido apenas um dia ruim”. Ou “Que triste saber da briga com sua mãe. Mas seja grato por ter uma mãe. A minha morreu e nunca tive a chance de me desculpar pelas nossas brigas”.

O manipulador vai tentar fazer você se sentir egoísta, virando a mesa contra você. Ele não quer que a conversa gire em torno dos seus problemas ou dificuldades.

Sua defesa: Não há muito o que fazer nessas situações além de encontrar outra pessoa mais carinhosa, compreensiva e madura para desabafar. Não exponha suas vulnerabilidades para alguém que não dá a mínima.

5 – Eles usam subterfúgios emocionais

Em vez de ser direto e sem rodeios, o manipulador foge da comunicação honesta e usa métodos passivos-agressivos. Ele pode falar de você pelas costas ou pedir a outra pessoa para ser seu porta-voz, assim não fará papel de vilão. Por exemplo, ele pode pedir para um amigo lhe dizer que deseja terminar com você, ou mencionar o quão infeliz ele está.

Ele pode usar meios passivos de dizer que está infeliz ou bravo, como o tratamento do silêncio. Ou pode dizer algo encorajador, mas agir de forma desencorajadora. Por exemplo, sua esposa pode dizer que ficou feliz por você ir terminar um complicado projeto de trabalho em casa, mas logo depois ela vai ao shopping e te deixa sozinho com as crianças.

Sua defesa: Para sua própria paz e sanidade, exponha esse comportamento diante do manipulador. É quase certo que você terá uma reação defensiva e raivosa, mas ao menos ele verá que você está atento.

6 – Eles sugam a energia do ambiente

Manipuladores conseguem entrar numa sala trazendo uma nuvem negra com eles. Eles querem atenção e foco em si próprios e fazem questão de mostrar a todos que estão nervosos, infelizes ou descontentes.

As pessoas correm para ajudar o manipulador, oferecendo apoio e carinho. Elas podem dizer: “Você está bem? Tem algo errado?” Essa é chance que o manipulador precisa para sugar a energia dos outros. Se você for uma pessoa sensível, estar numa sala com um manipulador o fará se sentir cansado e desorientado.

Sua defesa: Se possível, saia da sala. Por que perder sua energia e bom humor com isso? Se não for possível sair, tente manter seus pensamentos distantes e alheios ao que está acontecendo ali.

7 – Eles usam agressão ou raiva

Manipuladores geralmente tentam intimidar os outros com linguagem agressiva, ameaças ou raiva. Especialmente se eles se sentirem desconfortáveis ao serem confrontados.

O objetivo é fomentar medo ou desconforto, assim você fica submisso rapidamente. Talvez sua esposa tenha um acesso de raiva todas as vezes que você questiona seus gastos exagerados. Talvez seu marido eleve a voz e bata portas com força quando você faz algo que ele não gosta.

Sua defesa: A menos que você corra risco de violência física, enfrente esse comportamento. Se isso aumentar a raiva ou a agressividade, deixe o ambiente ou a casa imediatamente. Se a raiva for aceita e nunca confrontada, ela se torará um comportamento muito pior.

8 – Eles procuram pessoas sensíveis, inseguras ou inocentes

Manipuladores emocionais procuram as vulnerabilidades das pessoas para explorá-las. Eles criam relacionamentos com quem é mais vulnerável e fácil de ser controlado.

Os manipuladores podem facilmente identificar pessoas que têm a necessidade de agradar os outros ou os que são emocionalmente inseguros. Os manipuladores sabem ser carinhosos e compreensivos no começo, encobrindo suas reais intenções. Com o tempo, eles exploram a sensibilidade e gentileza da pessoa.

Sua defesa: Se você é extremamente sensível e caridoso, está mais inclinado a cair na conversa de um manipulador. Aprenda a identificar as armadilhas emocionais com antecedência, assim poderá evitar relacionamentos nocivos.

Pessoas manipuladoras precisam estar no controle, e esse desejo muitas vezes encobre um sentimento de insegurança. Manipuladores compensam isso aparentando autoconfiança e poder. Seus motivos são quase sempre para benefício próprio, e eles não se importam como seu comportamento impacta os outros. Eles precisam se sentir superiores e poderosos, e procuram pessoas que irão apoiá-los, acomodando seu comportamento passivo-agressivo.

Mas agora você já sabe se defender :)

Veja mais dicas bacanas aqui:

Comente pelo Facebook

comentários

Seguir Emílio Calil:

Editor, Consultor e Palestrante

Jornalista, designer e consultor com mais de 15 anos de experiência em diversos ambientes de trabalho – de agências de propaganda a multinacionais como a Microsoft. Acredita que as pessoas devem fazer o que amam para serem felizes e produtivas, e para isso oferece métodos e projetos que ajudam tanto empresas quanto pessoas. Apaixonado por tecnologia, games e pela cidade de Gramado.
www.emiliocalil.com | emilio@lifebreak.com.br

Participe deste assunto! Deixe seu comentário abaixo: