» » Cinco lições de finanças pessoais que podemos aprender com O Hobbit

Cinco lições de finanças pessoais que podemos aprender com O Hobbit

postado em: Artigos | 0
Cinco lições de finanças pessoais que podemos aprender com O Hobbit
Cinco lições de finanças pessoais que podemos aprender com O Hobbit

É difícil não nos sentirmos inspirados pelas histórias de O Hobbit e O Senhor dos Anéis. Os livros e filmes contém reinos fantásticos e criaturas espetaculares, mas eles também possuem fundamentos na realidade, especialmente quando falamos de Bilbo Bolseiro. De todos os personagens da Terra-Média, é ele com que mais nos identificamos. Ele é imperfeito, charmoso, medroso, ansioso, engraçado e muito humano. E nós podemos aprender com ele e com o mundo em que habita. A seguir estão cinco lições de finanças pessoais que o economista (e nerd) americano Paul Michael extraiu de O Hobbit:

1 – Você precisa das ferramentas certas pra sair dos problemas

No caso de Bilbo, o problema era uma aranha gigante que tentava literalmente lhe sugar a vida. Ele resolveu o problema com sua espada, Ferroada, e claro, o Um Anel. Mas quando o assunto são finanças, seus problemas, apesar de assustarem como monstros, são apenas dívidas. Seja o cartão de crédito, prestações do carro, da casa ou empréstimos, você precisa de boas ferramentas para se livrar desse fardo financeiro.

No seu caso, uma boa planilha de gastos pode ser tudo o que você precisa para entender o seu fluxo financeiro e começar a sair do buraco. Eu, particularmente, gosto muito desta aqui, feita pela Bovespa. É bem completa e oferece o mapa perfeito para seu controle de gastos. É surpreendente ver quanto gastamos com bobagens que fazem o dinheiro sumir. Você não enfrentará aranhas gigantes, mas sairá igualmente vitorioso com a conta no azul no próximo mês.

2 – Sair da sua zona de conforto pode trazer recompensas

Bilbo não pulou de cabeça em sua aventura com os anões. Foi somente a insistência de Gandalf que lhe deu a confiança para sair do Condado. E embora tenha encontrado muitas dificuldades no caminho, ele entrou em uma jornada incrível onde encontrou sua bravura e, também, o Um Anel.

Essa mesma interpretação de riscos pode ser aplicada no mundo financeiro. Se você está investindo dinheiro em seu plano de aposentadoria, mas não se aposentará com 30 ou 40 anos, então você não quer um plano seguro e confortável. Um agressivo investimento em ações pode trazer recompensas maiores. Sim, isso também pode trazer grandes perdas, mas você terá mais tempo para se recuperar.

3 – O ouro sempre será valioso

O dragão Smaug saqueou a cidade de Dale e se apossou da Montanha Solitária por uma razão: Ouro. Não uma pequena porção de ouro, mas uma montanha de outro maciço. E depois de dominar tudo, sentou em cima dele. Durante esse tempo, o valor do ouro aumentou mais e mais. O mesmo ocorre em nosso mundo.

Sim, o preço do ouro sobe e desce, e sua cotação hoje está um pouco abaixo do que seu ápice atingido em 2011. Mas ouro é ouro. É um metal precioso e é limitado. Quando alguma coisa é desejada e limitada ao mesmo tempo, sempre será valiosa. Então, sempre que vir alguma dessas placas com os dizeres “compro ouro” por aí, não aceite a primeira oferta de imediato. Pesquise sempre e consulte constantemente a cotação do ouro.

4 – Não viva um estilo de vida de ‘champanhe’ se seu orçamento só dá pra comprar cerveja

No caso do Hobbit, a cerveja provavelmente é uma ótima pedida lá taverna do Pônei Saltitante. E é Bilbo quem pede uma caneca de cerveja barata e uma refeição simples em vez de algo mais refinado e além de suas posses.

Entretanto, Bilbo é de fato o hobbit mais rico que já habitou o Condado. Ele possui o Um Anel, que não tem preço, e o precioso colete de Mitrhil (o qual ele dá para Frodo). Esses dois itens já o tornam muito rico, mas em vez de tentar fazer mais dinheiro com eles, Bilbo optou por uma vida mais simples. Nós podemos aprender muito com isso. Não gaste o aumento de salário assim que o receber. Não se pendure em cartões de créditos, pagando somente o mínimo das faturas. Não viva uma vida acima de seus padrões. Comece pagando a si próprio primeiro, separando a cada pagamento de salário uns 10% ou 20% para a poupança ou algum investimento.

5 – A ganância será definitivamente sua ruína

Um antigo hobbit chamado Smeagol tornou-se a repugnante e deformada criatura conhecida como Gollum, tudo por causa de sua obsessão pelo Um Anel. Smaug, o dragão, apossou-se de todo o ouro da montanha e acabou, eventualmente, morto sobre ele.

A ganância nunca lhe trará bons resultados. Uma coisa é saber economizar e usar seu dinheiro com sabedoria. Outra coisa é ter comportamento mesquinho, espalhando miséria e sugando tudo o que puder – tornando-se uma pessoa da qual ninguém faz questão de ter por perto. Você terá resultados muito positivos da vida se souber compartilhar sabiamente sua sorte com amigos e familiares. E isso não se aplica somente a dinheiro. Convide-os para um almoço, um café ou a famosa pizza de sábado à noite. Dê para a caridade roupas ou objetos que já não usa mais. Seja um bom doador e não siga o caminho de Smeagol e Smaug.

Deixei escapar alguma dica? Então ajude a complementar este post nos comentários :)

Veja mais dicas bacanas aqui:

Comente pelo Facebook

comentários

Seguir Emílio Calil:

Editor, Consultor e Palestrante

Jornalista, designer e consultor com mais de 15 anos de experiência em diversos ambientes de trabalho – de agências de propaganda a multinacionais como a Microsoft. Acredita que as pessoas devem fazer o que amam para serem felizes e produtivas, e para isso oferece métodos e projetos que ajudam tanto empresas quanto pessoas. Apaixonado por tecnologia, games e pela cidade de Gramado. www.emiliocalil.com | emilio@lifebreak.com.br

Participe deste assunto! Deixe seu comentário abaixo: