» » De onde os empreendedores tiram suas boas ideias?

De onde os empreendedores tiram suas boas ideias?

postado em: Artigos | 0

De onde os empreendedores tiram suas boas ideias?No coração de qualquer negócio de sucesso está uma grande ideia. Algumas tão simples que nos perguntamos por que não pensamos nelas antes. Outras tão revolucionárias que nos perguntamos como alguém foi capaz de pensar nelas.

Mas todas essas grandes ideias não vieram do nada. E isso deixa uma pergunta na mente de quem deseja ser empreendedor: De onde esse pessoal tira suas inspirações – e como posso usar essa mesma magia?

Para descobrir isso o pessoal do Wall Street Journal foi atrás de vários especialistas (grandes empreendedores, profissionais, professores) que possuem histórias de sucesso para contar. Eles tiraram sua inspiração de todos os tipos de lugar e agora compartilham um pouco dessa experiência. Veja o que eles têm a dizer.

Preste atenção no que te incomoda

Ideias para startups geralmente começam com um problema que precisa ser resolvido. Elas não surgem quando você está contemplando a vida. Elas se revelam quando você está trabalhando duro em outra coisa.

Você não é velho demais

Mark Zuckerberg com o Facebook, Paul Allen e Bill Gates com a Microsoft, Steve Wozniak e Steve Jobs com a Apple. Essas histórias de sucesso levam as pessoas a acreditar que boas ideias só surgem nas pessoas jovens. Mas esses grandes nomes são a exceção. O típico empreendedor é um profissional em seus 40 anos que conhece bem o mercado e inicia uma empresa com suas economias.

Viva o presente

Comece seu brainstorm com problemas nos quais você está pessoalmente envolvido. Iniciar uma empresa é difícil e exige uma dedicação que só pode vir da paixão.

A próxima questão é “Como”? As inovações geralmente surgem na execução da sua ideia de uma forma diferente da que os outros estão fazendo. Veja como as pessoas resolvem seus problemas e pense em outra forma de fazer isso.

Esteja atento, viva o presente. Às vezes coisas simples que passam despercebidas são boas ideias que acabam desperdiçadas.

Ideias são abundantes; determinação não

O maior fator que determina se uma pessoa será ou não bem sucedida não é a ideia em si, mas a vontade empreendedora de tentar (e continuar tentando) para transformar o sonho em realidade. Ideias existem aos montes, mas são poucas as pessoas que lutam pelas suas.

Ataque os problemas práticos

Anote todos os serviços ou experiência ao consumidor que frustram você, ou se gostaria de um produto que atendesse suas necessidades e não consegue encontrar. Então pergunte a si mesmo: “Isso é um problema que eu posso resolver? E quanto tempo e dinheiro eu precisaria para testar minha ideia?”

Procure manter sua ideia em baixos custos e com rápido desenvolvimento – se você falhar, não perderá muito. Se acertar, seu negócio começará com pouco.

Fuja do normal

Ideias são abundantes; determinação nãoEmpreendedores precisam fugir da rotina para exercitar seus cérebros. Ouça músicas estranhas, veja filmes sem sentido. Algumas boas ideias surgem do inesperado.

Caminhe por bairros desconhecidos, entre em lojas, bares ou lugares que você normalmente não frequentaria. Ao andar sem propósito, você vê as coisas de outra forma, pois sua atenção não está presa a um objetivo.

Fale com pessoas esquisitas, que são bem diferentes de você. Elas podem servir de inspiração.

Encontre um caminho melhor

Enquanto estamos presos numa rotina, devemos sempre nos perguntar: “Existe uma forma melhor de fazer isso”? Você ficará surpreso ao descobrir que a resposta na maioria das vezes é sim.

Pense grande

Cresça ou fique em casa. Há oportunidades para fazer dinheiro ao melhorar produtos e serviços existentes, mas o grande desafio é seguir uma ideia que parece maluca.

Torne o mundo um lugar melhor. O melhor tipo de empreendedor persegue um negócio que simplifica ou melhora a vida de muitas pessoas. Ele repetidamente pergunta “e se…” ao ver em como o mundo funciona e como ele pode ser aperfeiçoado.

Mude rápido. Muitas empresas bem sucedidas hoje são completamente diferentes de quando foram concebidas. O bom empreendedor sabe ver quando a empresa está na direção errada e muda o curso.

Teste no mercado

É importante olhar para uma ideia de duas maneiras: primeiro, considerar a inspiração inicial para o negócio; segundo, o conceito totalmente diferente que acaba sendo executado ao montar a empresa. Uma ideia é só uma ideia até que você a tenha testado. Grandes empreendedores descobrem estratégias que entregam soluções inovadoras ao mercado.

Ouça quem sabe mais

Obtenha feedback dos consumidores: Ouça os clientes e crie produtos e serviços que lhes dê mais daquilo que eles gostam e/ou menos daquilo que eles não gostam.

Ouça os empregados: Os funcionários que estão em contado direto com o consumidor possuem mais informações e experiência do que você. Converse com eles e peça sugestões.

Muitos empreendedores têm boas ideias ao reverterem suposições. Por exemplo, o conceito de que bancos precisavam de caixas e atendentes. Os caixas eletrônicos e banklines surgiram quando alguém perguntou: “Como podemos oferecer serviços bancários sem precisar de atendentes”?

Inspire-se na História

Olhe para trás de vez em quando. Entenda a mente daqueles que vieram antes de você – suas razões, crenças, motivações. Inspire-se em suas ações que mudaram o mundo e extraia o melhor desses ensinamentos.

Esteja preparado para mudar de marcha

Empreendedores precisam entender que sua primeira (ou segunda, ou terceira) ideia é ruim. De fato, pode ser péssima. Eles precisam estar atentos para entender por que essa ideia é tão horrível e serem capazes de mudar.

Os empreendedores também devem entender que mesmo que a ideia tenha problemas, existe a chance de ter uma boa oportunidade escondida nela. Eles devem conversar com pessoas e continuar ajustando e transformando suas ideias.

Depois de tudo, a ideia poderá falhar – isso acontece com a maioria dos empreendedores. Mas eles não se deixaram abater pela derrota e continuaram transformando e adaptando até encontrar o melhor posicionamento de negócios para essa ideia.

Não apresse o cérebro

Ninguém sabe de onde vem as grandes ideias. O cérebro faz sua mágica e as elas aparecem.

Enquanto espera o cérebro agir, faça o que está a seu alcance. Reúna-se com pessoas, troque ideias, divirta-se no processo. No mínimo, anote os problemas dos outros. Isso é sempre um bom ponto de partida.

A ação tem um aspecto criativo distinto do pensamento. E pensar precisa vir primeiro – o que geralmente não acontece.

O que não fazer

Uma coisa que não é um rico filão de ouro do empreendedorismo: ler previsões de mercado de alguma empresa de consultoria e decidir criar um produto para atender essa necessidade.

Veja mais dicas bacanas aqui:

Comente pelo Facebook

comentários

Seguir Emílio Calil:

Editor, Consultor e Palestrante

Jornalista, designer e consultor com mais de 15 anos de experiência em diversos ambientes de trabalho – de agências de propaganda a multinacionais como a Microsoft. Acredita que as pessoas devem fazer o que amam para serem felizes e produtivas, e para isso oferece métodos e projetos que ajudam tanto empresas quanto pessoas. Apaixonado por tecnologia, games e pela cidade de Gramado.
www.emiliocalil.com | emilio@lifebreak.com.br

Participe deste assunto! Deixe seu comentário abaixo: