» » História de sucesso: Conectando músicos com seus fãs

História de sucesso: Conectando músicos com seus fãs

postado em: Artigos | 0

O americano James “J” Sider passou seis anos trabalhando no cenário da música ao vivo – desde esfregar chãos dos palcos após os shows em pequenos estabelecimentos até agenciar grandes apresentações envolvendo milhares de pessoas. Ele acabou gerenciando bandas, também, fazendo reservas de shows e tentando manter uma proximidade com os fãs.

Mas em 2008 ele estava sobrecarregado de trabalho e ganhando mal. Então ele teve aquela faísca empreendedora em um pensamento que mudou sua vida: “Deve haver um jeito melhor de fazer tudo isso“.

Ele estava certo. Aquele ‘momento eureca’ foi o nascimento da BandPage (www.bandpage.com), uma plataforma online para músicos construírem sua presença e postarem conteúdo para os fãs. Hoje, a empresa sediada em São Francisco, possui mais de 500 mil músicos como usuários – incluindo nomes como Rihanna, 50 Cent e Arcade Fire. A empresa utiliza um modelo ‘freemium’ para os músicos, que podem comprar ferramentas promocionais extras e, também, permite às bandas vender experiências únicas para os fãs.

Mas antes de entender mais sobre o atual modelo de negócios da BandPage, você precisa conhecer sua história de sucesso (com altos e baixos).

J. Sider
J. Sider: Perseverança e adaptações a imprevistos para reinventar a empresa

A BandPage foi lançada oficialmente em 2009 e o serviço foi criado quase inteiramente no Facebook. O aplicativo permitia aos músicos criar uma página no Facebook com atualizações, datas de shows e fotos. Ele rapidamente se tornou um dos principais ‘apps’ para milhares de músicos que queriam um perfil mais dinâmico do que o Facebook oferecia. Em 2011, a empresa recebeu dois aportes – um de US$ 2.3 milhões e outro de US$ 16 milhões – de investidores.

Mas no último ano o Facebook acabou com a festa: Ele introduziu a nova linha do tempo (ou timeline), tornando as páginas obsoletas. Na época, essa mudança eliminava a necessidade dos músicos de configurar seus apps da BandPage como página principal e, em dois meses, a empresa perdeu 90 por cento do seu tráfego, acabando com seus 32.1 milhões de usuários ativos mensais e 1.5 milhões de usuários diários.

Então Sider pensou: “Bem, nós não conseguiríamos todo esse investimento ou teríamos todo esse crescimento se fôssemos apenas um aplicativo do Facebook. Existe algo maior que precisamos enxergar. A nova timeline do Facebook obviamente mudou as coisas, mas não é nada com que não possamos lidar.

Então, durante todo o ano passado, a empresa se moveu para além do Facebook. Embora a BandPage ainda promova centenas de milhares de páginas de músicos no Facebook, ela agora também oferece os mesmos recursos para que as bandas criem seus próprios websites. E, além disso, a empresa começou a abranger outras grandes plataformas online como Pandora e WordPress.

O mais recente recurso da BandPage, o Experiences, permite que os fãs paguem para interagir com os músicos, como jogar boliche com a banda indie Free Energy por US$ 50, ou falar no Skype com o guitarrista do Ozzy Osbourne por US$ 2.500. A BandPage fica com 15% de cada venda, repassando os 85% restantes para a banda.

A ideia é capturar a audiência da banda, que sempre é maior do que você pode imaginar“, diz Sider. “Pense nos seus músicos favoritos. Quantas pessoas pagariam para vê-los? Provavelmente muitas. Agora, diga-me quais deles estarão na sua cidade nos próximos seis meses? Aposto que você não sabe. Estes são os pontos que estamos conectando“, explica Sider.

A história de J. Sider é interessante por conter elementos famosos ocorridos em um curto espaço de tempo: do início humilde nos bastidores à ideia original de facilitar um processo, passando pelo crescimento constante até uma queda brusca, que o obrigou a se reinventar para permanecer no mercado.

Todos os elementos do empreendedorismo estão aí, da criatividade à persistência e a recusa da derrota. E você vai notar que não houve nenhuma fórmula mágica além de muito trabalho, a crença em um sonho e a perseverança para contornar os problemas que surgem ao longo do caminho.

Nada diferente do que você ou eu já tivemos que fazer em várias ocasiões, não é mesmo? Então, que tal parar de falar que tudo é impossível e usar o exemplo da BandPage como o começo da construção dos seus sonhos?

Veja mais dicas bacanas aqui:

Comente pelo Facebook

comentários

Seguir Emílio Calil:

Editor, Consultor e Palestrante

Jornalista, designer e consultor com mais de 15 anos de experiência em diversos ambientes de trabalho – de agências de propaganda a multinacionais como a Microsoft. Acredita que as pessoas devem fazer o que amam para serem felizes e produtivas, e para isso oferece métodos e projetos que ajudam tanto empresas quanto pessoas. Apaixonado por tecnologia, games e pela cidade de Gramado.
www.emiliocalil.com | emilio@lifebreak.com.br

Participe deste assunto! Deixe seu comentário abaixo: