» » 26 desculpas que você arruma para não sair do emprego que odeia

26 desculpas que você arruma para não sair do emprego que odeia

postado em: Artigos | 0

Faça o que você amaVamos falar sobre por que as pessoas continuam trabalhando naquilo que odeiam.

Se você nos acompanha há algum tempo, já deve conhecer a pesquisa que revelou que 80% das pessoas no mundo não gosta de seus trabalhos e 75% delas não sabe o que gostaria de fazer.

Esses números são assustadores e acabaram se tornando um dos motivos para que eu criasse o LifeBreak. Algumas pessoas estão conseguindo mudar esse cenário, mas ainda são muito poucas. Mas para o resto do mundo, é loucura pensar que tantas pessoas estão dispostas a continuar a agir de uma forma que as torna infelizes.

O blogueiro americano Scott Dinsmore vem fazendo um trabalho bacana no EUA ajudando as pessoas a descobrirem suas paixões e fazendo-as entender que outra vida é possível. Ele está há oito anos nesse caminho e conseguiu reunir um material bastante interessante referente ao comportamento e motivação das pessoas, tanto no que tange ao sucesso quanto ao fracasso.

Dinsmore levantou a seguinte questão: “Por que as pessoas não fazem alguma coisa a respeito de sua situação”? E chegou a essa conclusão:

“O mais louco de tudo isso é que as pessoas têm praticamente as mesmas histórias. Eu ouvi todas as razões possíveis existentes na Terra explicando por que a situação delas era diferente, por que elas não conseguem quebrar essa corrente e fazer alguma coisa que as motive, etc. A grande maioria acaba caindo nas mesmas desculpas.”

Para mudar essa situação, o primeiro passo é identificar o problema. E o segundo passo é fazer alguma coisa a respeito. E Dinsmore acrescenta:

“Acredite, eu sei que fazer a transição pode ser incrivelmente desafiador. Nunca menosprezei isso. Mas existem exemplos em vários lugares de pessoas em situações piores do que a sua, que conseguiram encontrar uma forma de mudar. Posso falar com certeza porque vejo isso acontecer quase que diariamente. Basta ficar de olhos e ouvidos atentos e você também verá.”

Dito isso, publico aqui uma lista de Scott na qual ele enumerou as vinte e seis principais razões pelas quais as pessoas continuam fazendo coisas que detestam (alguns desses itens lhe parece familiar?):

  1. Eu não sei o que gostaria de fazer.
  2. Eu não sei como ganhar dinheiro com aquilo que eu gosto de fazer.
  3. As pessoas vão achar que eu estou louco.
  4. Eu não tenho ninguém a quem pedir conselhos, ajuda ou encorajamento.
  5. Trabalho é apenas parte da vida. Não é algo para ser divertido.
  6. Não é possível fazer o que você ama e viver disso.
  7. Não encontro coragem para começar.
  8. E se eu fracassar?
  9. Ninguém que eu conheço gosta do seu trabalho.
  10. Eu tenho família, contas e responsabilidades para me preocupar.
  11. O que eu gosto de fazer não é algo do qual eu possa ganhar dinheiro; é só um hobby.
  12. Não sou qualificado. Tem muita gente nessa área com mais experiência do que eu.
  13. Entre meu emprego atual, minha família, tentar me manter saudável e todas as outras coisas que preciso fazer, não dá tempo de fazer o que eu gosto.
  14. Não encontro um emprego que permita ampliar minhas habilidades naturais.
  15. É muito arriscado. Nesses tempos de instabilidade, é preciso se agarrar a qualquer emprego que conseguir.
  16. Eu tenho muitos interesses e coisas que gosto de fazer. Não dá pra escolher apenas um. E se eu escolher e descobrir que fiz a escolha errada seis ou doze meses depois?
  17. Não consigo ter iniciativa.
  18. Eu tenho um dia terrível atrás do outro.
  19. Nunca vi ninguém que fosse capaz de ganhar dinheiro e viver daquilo que gosta.
  20. Tem muita competição nessa área.
  21. Estou muito velho e esperei tempo demais. Queria ter pensado nisso uns 25 anos atrás.
  22. Passei muitos anos na faculdade estudando algo que não gosto de fazer hoje. Mas seria um desperdício jogar meu diploma fora.
  23. Hoje em dia é preciso ter experiência com a internet e eu não sei mexer em nenhuma dessas tecnologias modernas.
  24. Não sou criativo o bastante.
  25. Encontrar e manter um emprego já é difícil o bastante, imagine conseguir um que eu goste.
  26. Eu não conheço ninguém que atualmente viva fazendo somente aquilo que ama.

 

Vou perguntar de novo: Algum desses itens lhe parece familiar?

Gaste mais um tempinho olhando para eles de novo. Marque aqueles que já ecoaram na sua mente várias e várias vezes. Por que você acredita neles?

Você realmente tem experiência e informações o suficiente para acreditar que não existe nenhum outro caminho?

Eu duvido. Olhe à sua volta. Tome como exemplo as pessoas que foram bem sucedidas em diversas áreas.

Eu tenho uma novidade para você: Cada uma dessas ‘razões’ acima é nada mais do que uma desculpa. É uma suposição que precisa ser testada para provar que está errada. Dê o primeiro passo e você começará a mover montanhas.

Scott sugere cinco coisas que você pode fazer imediatamente para mudar essas desculpas na sua cabeça:

  1. Encontre alguém que já está fazendo o que você quer fazer – Faça amizade com eles ou leia tudo a respeito de suas vidas.
  2. Desenvolva-se naquilo em você é bom – Faça um teste vocacional ou apenas peça para pessoas próximas fecharem os olhos e enumerarem suas principais habilidades.
  3. Caia de cabeça na sua paixão – Se não sabe como, então tire um dia de folga (ou feriado, ou fim de semana) sem absolutamente nenhum compromisso e veja o que atrai sua atenção.
  4. Diminua os obstáculos – Faça uma lista das coisas que atualmente o fazem feliz (e das coisas que a maioria das pessoas também acha) – você descobrirá que provavelmente não precisa de tanto dinheiro ou de tantas coisas quanto imaginava.
  5. Ajude alguém com alguma coisa – E cobre por isso! Todos nós somos especialistas em algo.

 

Dica extra: Se puder, tire um dia de folga na semana que vem e passe um tempo fazendo uma das cinco coisas acima. Se você ainda não fez, então esperou tempo demais.

Viver daquilo que gosta de fazer é um direito seu

Lembre-se de que tudo era impossível até que alguém foi lá e fez. Desculpas não são fatos. Não estão escritas em pedra. Elas não são nada. São apenas invenções da nossa imaginação. Apenas pensamentos – nada mais.

Mas esses são os pensamentos mais perigosos do mundo. Acreditar neles pode matar o sonho em uma fração de segundo.

Somente quando começamos a refutá-los é que mudamos o mundo.

Viver uma vida de propósito e paixão é exatamente isso, um estilo de vida. Aqueles que acordam empolgados todos os dias não são os mais sortudos, eles condicionam a si próprios a experimentar e merecer isso.

Então, vou perguntar mais uma vez:

Quais dessas 26 desculpas acima você está usando pra si mesmo?

Você sabe que pode fazer melhor.

Que hoje possa ser seu último dia de desculpa.

O LifeBreak oferece um serviço de coaching e consultoria focado na qualidade de vida e na felicidade do trabalho. Se você gostaria de trabalhar com o que ama, mas não sabe por onde começar, clique aqui.

Veja mais dicas bacanas aqui:

Comente pelo Facebook

comentários

Seguir Emílio Calil:

Editor, Consultor e Palestrante

Jornalista, designer e consultor com mais de 15 anos de experiência em diversos ambientes de trabalho – de agências de propaganda a multinacionais como a Microsoft. Acredita que as pessoas devem fazer o que amam para serem felizes e produtivas, e para isso oferece métodos e projetos que ajudam tanto empresas quanto pessoas. Apaixonado por tecnologia, games e pela cidade de Gramado.
www.emiliocalil.com | emilio@lifebreak.com.br

Participe deste assunto! Deixe seu comentário abaixo: